NOTÍCIAS
 


3º ENCONTRO NACIONAL AFABESP-AFABANS

Período de 12 a 16 de agosto de 2002 – Colônia de Férias do Guarujá


Realizou-se nas dependências da Colônia de Férias do Guarujá o 3º Encontro Nacional Afabesp-Afabans, que contou com a presença da diretoria da Afabesp e das 33 Afabans-oficiais.

As Afabans presentes foram: Araçatuba, Araraquara, Baixada Santista, Bauru, Belo Horizonte, Botucatu, Campinas, Campo Grande, Centro Oeste (Goiânia), Circuito das Águas (Amparo), Curitiba, Franca, Ituverava, Jaú, Juiz de Fora, Jundiaí, Limeira, Lins, Marília, Nordeste (Recife), Noroeste (Maringá), Paraguaçu Paulista, Piracicaba, Pirassununga, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Rio Claro, Rio de Janeiro, São Carlos, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto, Sorocaba, Tupã.

Lembrando-se que são denominadas Afabans-Oficiais aquelas reconhecidas pela Afabesp e que seguem o Estatuto da Afabesp. Devem ser associações compostas por aposentados do Banco do Estado de São Paulo e não ter vinculação político-partidária.

A abertura do evento foi na segunda feira às 17h, com a presença de toda a diretoria executiva e do presidente do Conselho Deliberativo da Afabesp, com um rápido coquetel, seguido da execução do Hino Nacional Brasileiro, discurso de abertura do presidente Yoshimi Onishi que deu boas vindas a todos e enfocou a importância de uma Afabesp unida na luta para enfrentar todos os desafios diante do novo cenário do Banespa privatizado, e encerrando o dia tivemos a palestra do Dr. José Moromizato, especialista em medicina psicossomática. O tema abordado foi a influência da mente sobre o corpo.

Dando seqüência aos trabalhos, na terça-feira houve a exibição de um vídeo institucional da Afabesp, seguido de uma palestra do diretor financeiro Adriano Ithya Takaki que fez um retrospecto da Afabesp desde o 2º Encontro até hoje. Apresentou também dados sobre o orçamento realizado no 1º semestre e a previsão do 2º semestre deste ano, aprovados pelo Conselho Deliberativo. A diretora de “comunicação” Maria Cristina Basile Badejo fez uma exposição sobre o Projeto de Identidade Visual da Afabesp. Encerrando os trabalhos da manhã o diretor do patrimônio, Antonio Davantel, coordenador das Afabans, entregou relação para que discutissem posteriormente sobre a definição das cidades pertencentes as suas jurisdições.
Após o almoço houve a palestra do diretor financeiro da Cabesp, Paulo Roberto Salvador. Iniciou falando sobre a gestão da Cabesp neste semestre, aplicações financeiras, empréstimos aos associados, falsificação de 15.000 tíquetes Cabesp e outras notícias de ordem administrativa e o andamento das atividades do Grupo de Trabalho da Cabesp defende aidéia de consenso progressivo em torno das propostas entre as entidades e os participantes do grupo de trabalho.

José Marcello Koch Leme de Piracicaba falou sobre os Banespinhas e os problemas decorrentes da privatização do Banco e propôs a constituição de uma comissão para tentar manter esse patrimônio.

O presidente do Banesprev Dr. Jarbas Antonio de Biagi, entre outros assuntos de interesse, falou sobre a estrutura funcional da entidade hoje, e dos 7.000 funcionários do Banespa que aderiram ao PDV e que resgataram suas cotas representando R$ 80 milhões aproximadamente. O Banesprev conta hoje com 14.000 participantes. Afirmou que será constituido um grupo de trabalho a exemplo do GT da Cabesp, tendo em vista o Acordo Coletivo de Trabalho. Finalizou dizendo que o fundo vai muito bem e que o relacionamento com o patrocinador Banespa-Santander é muito bom.

A quarta-feira foi reservada para uma visita ao Recanto Campestre de Vinhedo.

Na quinta-feira logo no início dos trabalhos houve a palestra do presidente da Cabesp, Eduardo Prupest que iniciou falando que o momento hoje é diferente, onde os aposentados de uma maneira geral passaram a ter um melhor conhecimento sobre a Cabesp, e o papel do aposentado é fundamental daqui para a frente, e que este fórum é o melhor local para discutir o assunto. Vários são os interesses neste momento, e todos têm que ser conciliados para manter a Cabesp como tem sido até hoje o maior bem de todos nós.

Num universo de aproximadamente 130 mil beneficiários, os aposentados representam hoje, um pouco mais de 60.000.

Enfocou também os problemas de ordem estrutural da Cabesp, o impacto do PDV, o estudo sobre o Plano de Agregados e as questões de ordem administrativa.

Na sequência, Eros Antonio de Almeida, representante da Afabesp no Grupo de Trabalho – Cabesp, fez uma exposição do que tem sido discutido naquele grupo e afirmou que o problema Cabesp não pode ser tratado como bandeira de luta ou palavra de ordem, dizendo com isso que o assunto não pode ser politizado. O problema Cabesp é assunto técnico e deve ser tratado com seriedade e competência. Lembrou que o referido grupo de trabalho foi criado em decorrência do abominável Acordo Coletivo defendido pela Afubesp e pelo Sindicato.

O Eros traçou um panorama geral dos problemas da Cabesp, de ordem operacional, estrutural e comentou sobre propostas de encaminhamento para solução das questões.

Na parte da tarde foi dado espaço para que se realizasse a Assembléia Geral Extraordinária da Apabex que teve como pauta a aprovação das contas do exercício de 2001 e posse da nova diretoria e Conselho Deliberativo.

Em seguida, houve a palestra dos advogados Roberto Gaudio, Antonio Manoel Leite e Reinaldo Armando Pagan que discorreram sobre as nossas pendências judiciais especialmente a ação que visa o bloqueio dos títulos e correção das complementações pelo IGP-DI. Informaram que o escritório do Dr. Piza já procedeu a apelação do processo à Juiza Auxiliar Dra. Luciana da Costa Alves e que há uma grande expectativa que ela reconsidere a sua decisão, fazendo com que a ação volte a ter o seguimento normal, restaurando assim a liminar.

Finalizando o ciclo de palestras na sexta-feira, o diretor financeiro, Adriano Ithya Takaki, fez um relato histórico das obras do Recanto Campestre de Vinhedo e da necessidade de se conseguir recursos para a conclusão das mesmas, assunto este sugerido também como tema para discussão nos estudos em grupo.

Como relator dos 8 grupos, Benedito Lourenço – Benê de São José do Rio Preto procedeu a leitura do documento.

Sugestões apresentadas pelos representantes das Afabans.

Cabesp

1) Manter vigilância quanto as posições dos representantes sindicais que poderão apresentar propostas prejudiciais aos aposentados;
2) Melhorar o atendimento através da linha 0800 e internet;
3) Que as Afabans ficariam na condição de representantes extra-oficiais encarregadas de dar andamento a documentos, fazer contatos necessários inclusive com alçada para credenciamentos, podendo substituir pessoas ou entidades que não estejam oferecendo bom atendimento;
4) A Afabesp deverá se preocupar em melhorar o poder de mobilização dos aposentados, para que permaneçam atentos, a par dos acontecimentos e presentes nas assembléias;
5) Face ao iminente aumento de contribuição, se o valor do ponto de equilíbrio for acima da capaciadde de pagamento do associado, oferecer mais de uma opção com planos diferenciados para os quais poderia migrar voluntariamente;
6) Contrários a usar-se do capital e do patrimônio para suprir o não aumento de mensalidade ou déficit operacional;
7) Adequar a folha de pagamento do pessoal da Cabesp à realidade do mercado para diminuir as despesas administrativas, passando inclusive pelo fechamento de ambulatórios;
8) Alterar o Estatuto de forma que a Cabesp seja gerida por um Conselho de Administração o qual contrataria profissionais especializados no mercado para exercer funções administrativas, hoje a cargo de diretores (eleitos ou não) e nem sempre capacitados para tal;
9) Permitir no novo Estatuto o voto por correspondência;
10) Efetuar recadastramento dos usuários de forma a corrigir eventuais distorções na área de atendimento direto de dependentes;
11) Vender imóveis que não apresentem rentabilidade compatível, ou seja, 1% ou mais ao mês, comparativamente ao seu valor comercial, à vista;
12) Que as presentes sugestões sejam encaminhadas de imediato ao grupo de trabalho que estuda alternativas para a perenidade da Cabesp.

Recanto Campestre de Vinhedo

1) Produção de vídeo pela Afabesp sobre o empreendimento, com cópias para as Afabans;
2) Divulgação pelas Afabans, através do vídeo, da real situação, conscientizando os associados sobre a necessidade de seu engajamento para o término do projeto;
3) Da mesma forma, proceder ampla divulgação no Jornal Afabesp;
4) Tentar obter recursos através de Bancos/Empresas de grande porte, oferecendo em troca a utilização do complexo, para reuniões, convenções etc – venda antecipada de diárias;
5) Vender títulos honoríficos para aproximadamente 2.500 associados, à razão de R$ 500,00 cada, pagáveis em 10 parcelas mensais e resgatáveis mediante a utilização de diárias futura, em temporadas tanto no Recanto quanto na Colônia de Férias do Guarujá, observando o limite de até 10% de sua respectiva capacidade de lotação;
6) Que o Recanto Campestre seja administrado por equipe especializada e dentro do critério de terceirização de mão de obra;

Banespinhas

A Afaban de Piracicaba encaminhará para as demais, questionário sobre a situação de cada Banespinha. Caberá a cada uma analisá-lo e respondê-lo a seu critério. A situação de cada Banespinha deverá ser analisada em conjunto pela Afaban e a diretoria do Banespinha, levando em conta a especificidade de cada um, com vistas a encontrar uma solução que contemple seus interesses específicos à luz do bom senso.

Afabesp-Afabans

1) Normatizar as Afabans de forma que os seus respectivos estatutos e impressos, a exemplo da Afabesp, especifiquem a definição “Banco do Estado de São Paulo” ao invés de Banespa, tendo em vista que a marca Banespa poderá vir a extinguir-se com o passar do tempo;
2) Que a Afabesp realize estudos no sentido de que os almoços, jantares especiais ou festivos, tenham seus valores cobrados em igualdade de condições para os sócios hospedados ou não na Colônia;
3) Que o Jornal Afabesp seja mais opinativo (engajado), pois somente informações não são suficientes para demonstrar o atual estágio de nossas litigâncias judiciais e/ou de relacionamento com as diversas instâncias do Banco;
4) Que as verbas oriundas das mensalidades exclusivas da Colônia, sejam aplicadas somente nela;
5) Para resolver o aspecto formação de novas Afabans, reduzindo-lhes o número mínimo exigido de associados sem onerar ainda mais a Afabesp, usar o seguinte critério para a constituição das futuras Afabans:
a) Afaban com 60 a 79 associados – 30% de repasse;
b) Com 80 a 99 associados – 40% de repasse;
c) Com 100 ou mais associados – 50% de repasse.
6) Que a partir de 2003 poderia ser suprimido o repasse da verba anual de 10% destinada a confraternização de Natal, a critério da Afabesp e tendo em vista a preservação da habitualidade já consagrada.

O encerramento oficial do Encontro foi feito pelo presidente Yoshimi Onishi, na presença de diretores e do presidente do Conselho Deliberativo da Afabesp.
Em sua fala, o presidente da Afabesp destacou “foi este, sem dúvida, o mais fraterno e produtivo encontro até hoje levado a efeito nesta nossa Colônia de Férias. A coordenação de forças do ideal banespiano, a conjunção de energias positivas, a unidade de pensamento e ação em torno de temas importantes, tudo somou, de forma decisiva, para o completo êxito do conclave”.




 
voltar-----home