NOTÍCIAS
 


UNIÃO DE GIGANTES CONTRA OS APOSENTADOS

04/08/2009

No dia 1º de agosto, no Esporte Clube Banespa, presenciamos mais uma vez a união de Sindicatos, Federações, Confederações e Afubesp que, atuando intensa e principalmente junto ao pessoal da ativa, posicionaram-se contra os aposentados.

Entretanto, mais uma vez, o pequeno Davi derrotou Golias.

A assembléia, que tinha como finalidade deliberar sobre as reformas estatutárias do Banesprev transformou-se em verdadeira batalha.

LIMINAR

Logo no início da assembléia aqueles que eram contrários à reforma exigiram sua suspensão, argumentando que havia uma liminar conseguida pelo Sindicato de São Paulo, anulando-a.

O Presidente do Banesprev leu a liminar informando que não havia suspensão da assembléia e que apenas os seus efeitos estavam provisoriamente suspensos até o julgamento da ação.

A REFORMA

Essa reforma representa alguns avanços, ainda que modestos, para os aposentados/pensionistas e toda a comunidade banespiana.

Na verdade, os debates concentraram-se em torno de poucos itens constantes da reforma.

A ASSEMBLÉIA

Desde o começo ficou claro que o grupo contrario à reforma (Sindicatos, Federações, Confederações e Afubesp), tentaria por todos os meios impedir que a assembléia chegasse ao final.
A cada item da reforma, lido pelo Presidente, vários oradores apoderavam-se do microfone, levantando “questões de ordem” inexistentes em claras manobras destinadas a impedir a conclusão dos trabalhos.

DEBATES

No transcorrer dos trabalhos os itens mais debatidos foram o Grupo de Trabalho (GT) previsto no Aditivo à Convenção Coletiva desde o ano de 2001 e até agora não instalado, a alteração do artigo 27, que trata da composição do Conselho de Administração, a possibilidade do voto ser exercido pelo correio e a autorização para que os aposentados possam candidatar-se aos cargos da Diretoria Executiva.

GRUPO DE TRABALHO (GT)

Esse GT está previsto no Aditivo à Convenção Coletiva desde 2001 e até agora não instalado, tendo como finalidade a reestruturação do Banesprev. Será composto paritariamente por 10 pessoas, incluídos 2 representantes do Banesprev (excluídos mais uma vez os aposentados).

Foi dito por um representante dos aposentados favoráveis à reforma que essa alteração estatutária não conflitava com a instalação do Grupo de Trabalho, uma vez que os avanços contidos na proposta de reforma poderiam ser complementados pelo trabalho do GT, possibilitando dessa maneira maiores conquistas.

ARTIGO 27 – COMPOSIÇÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO
Em relação a esse artigo, foi esclarecido que trata-se apenas de corrigir a redação pois ali consta ainda a Direp, inexistente desde o ano de 2000.

Vale lembrar que esse Conselho vem se reunindo e tomando decisões desde o ano de 2000 com 4 indicados pelo Banco e 2 eleitos pelos participantes e que nem os Sindicatos nem a Afubesp iniciaram qualquer campanha contra isso até agora.

Na prática a alteração desse artigo não muda nada, pois a composição do Conselho continuará a ser 4 indicados pelo Banco e 2 eleitos por nós.

Além disso, todas as decisões importantes tomadas pelo Conselho deverão ser aprovadas pela assembléia para que entrem em vigor.

VOTO POR CORRESPONDÊNCIA

Na realidade, essa alteração, ainda que não explicitamente, foi um das que mais motivou o combate às reformas.

Na última eleição para a Diretoria do Banesprev houve 61% de abstenção, motivada principalmente pelo sistema eleitoral totalmente ultrapassado, injusto e discriminatório para com os aposentados.

Esse sistema eleitoral atrasado faz com que milhares de aposentados sejam impedidos de votar em virtude de residirem em cidades que não contam com agência Santander.

Outros milhares também deixam de votar por terem dificuldades de locomoção.

Ademais, a não liberação, pelo Santander, de mesários para compor as mesas de votação, segurança inexistente, violação de lacres, desaparecimento de 40 urnas conduzem de forma clara para a utilização dos correios para esse tipo de eleição.

E é a possibilidade de aumentar a participação dos aposentados que incomoda e assusta aqueles que sempre consideraram o Banesprev como seu “curral eleitoral”. Por isso não querem aceitar o voto pelo correio.

APOSENTADOS NA DIRETORIA DO BANESPREV

Essa é outra alteração que colocou os inimigos dos aposentados de maneira encarniçada contra a aprovação da reforma, muito embora não tivessem coragem de explicitar claramente essa posição.

Não são capazes de aceitar democraticamente a alternância na direção do Banesprev.

Pensam que, como autênticos “coronéis políticos”, tem direito divino a esses cargos.

Não estão preparados para perder e são capazes de usar qualquer meio para atingir seus objetivos.

BADERNA

Não há dúvidas que o objetivo principal desse grupo era impedir a qualquer custo e por qualquer meio a realização da assembléia, pois sabiam de antemão que seriam derrotados.

Omitiram que essa proposta foi amplamente discutida na audiência pública e em várias reuniões à qual não enviaram sua representante, Afubesp, apesar de convidada conforme previsto no estatuto.

Não muito ligados à democracia, esses “militantes” além de não comparecerem às reuniões, não contribuíram em nada. Esperaram a assembléia para, usando métodos antidemocráticos e de violência física tentar impedir sua conclusão e “melar” seus resultados.

Dois colegas aposentados foram covardemente agredidos fisicamente por elementos não aposentados trajando camisetas brancas com o logotipo da Afubesp, e que, acreditamos, lá estavam para desempenhar o papel de baderneiros com a única finalidade de impedir que a assembléia fosse concluída, configurando a tática nazi-fascista de truculência e intimidação.

Um dos aposentados favoráveis á reforma perguntou à assembléia onde estavam esses mesmos sindicatos em 2001 e 2004, quando traíram os aposentados, legando-nos 6 (seis) anos de congelamento. Lembrou também que foram esses mesmos sindicalistas que tentaram, através do Banco e depois na justiça, impedir a participação dos aposentados nas recentes eleições da Cabesp e Banesprev. O resultado dessas eleições foi prova inequívoca de que os aposentados/pensionistas e pessoal da ativa não mais aceitam a ação de pessoas que usam das suas entidades como palanque eleitoral destinado ao lançamento de candidaturas político-partidárias.

Na tradição da família banespiana fatos lamentáveis como esse nunca haviam acontecido e devem ser debitados ao medo da perda de poder que os responsáveis por 6 (seis) anos de congelamento sentem, decorrente das suas recentes derrotas nas eleições da Cabesp e Banesprev.

RESULTADOS

A proposta foi aprovada com os seguintes resultados:

Votos sim : 2943
Votos não : 79
Suspensão : 2340

Inicialmente, o Presidente da assembléia tinha a intenção de colocar 3 urnas para colher três opções de votos: Sim, Não e Abstenção.

Espertamente os contrários à reforma, que sabiam que os votos Sim seriam amplamente majoritários, exigiram e conseguiram que a opção Abstenção fosse somada, na prática, à Suspensão.

Isso fez com que vários colegas que já tinham se decidido pelo Sim, migrassem para a opção Abstenção/Suspensão, pois não aceitavam a rejeição definitiva significada pelo voto Não.

Por outro lado, devido à longa duração da assembléia, cerca de 6 horas, aliada ao cansaço, quase 300 colegas, a maioria procuradores a favor do Sim, tiveram que abandonar a assembléia em virtude de residirem em outras cidades e terem que enfrentar longas viagens de volta às suas casas.

CONCLUSÃO

Merecem congratulações todos aqueles que contribuíram para mais essa vitória, que representa mais um passo dos aposentados em direção ao objetivo que é participar cada vez mais da administração do nosso Fundo de Pensão.

Nossos 2 (dois) colegas, vítimas de agressão, membros dos Conselho Deliberativo da Afabesp, merecem toda a nossa solidariedade, ao mesmo tempo em que condenamos os agressores, que, com esse ato criminoso, lançou na lama a legitimidade das suas propostas.

No entanto, no final prevaleceu o bom senso, sendo mais uma vez derrotada a demagogia, a prepotência e a politicagem.

É preciso que os inimigos dos aposentados entendam, de uma vez por todas, que nós queremos apenas recuperar e proteger nossos direitos, entregues por eles ao Santander, e ir para casa curtir dignamente o tempo de vida que nos resta, desfrutando do respeito que merecemos.

Mas, que não se iludam, não abriremos mão da nossa união e não perderemos a fé em nós mesmos.

Afabesp - Sinfab


 
voltar-----home